O pastor Haynes contou que estava em seu carro a caminho de um compromisso importante.  De repente o pneu dianteiro direito estourou. Ele disse: “_Foi difícil, mas evitei o acidente.
Agradeci a Deus pelo livramento, mas em seguida me revoltei. Ao abrir o porta malas me lembrei que havia tirado o macaco para limpar o carro e o deixei em casa.
Pior ainda, estava em uma Estrada deserta, não levei celular, nem havia telefone público ali. Cruzei os braços e comecei a murmurar. Viver pela fé dá nisso, disse eu. Comecei meu ministério com dificuldade, carro velho e… de repente, ouvi a voz do Espírito Santo: Louve! Falei com Deus: Não estou com vontade, Pai. O Senhor não vê que eu estou aqui neste deserto, no meio do nada? Vou perder meu compromisso e minha vida está em risco aqui. Mais uma vez veio a voz de Deus: Louva-me. Relutei em obedecer, mas após a Terceira vez obedeci, mesmo sem querer. Comecei: Aleluia! Louvado seja o teu nome, glória a Deus; encostado no meu velho carro, meu coração  se abriu. Agradeci pelo velho carro, pelas dificuldades e… enquanto eu louvava, vi se aproximando um reboque. O motorista parou atrás e desceu. Foi logo me dizendo: Você me chamou e estou aqui para ajudá-lo. Qual é o problema? Respondi assustado: Não chamei você, não tenho telefone, estou só aqui, mas ele disse: Há 40 minutos recebi seu chamado, sua localização e placa do seu carro. Fiquei em estado de choque, entendi que Deus usou o seu anjo para me ajudar. Imagine o resto da minha conversa com o enviado de Deus—fica a seu critério. Pude chegar ao meu compromisso com alguns minutos de antecedência ainda, porém com vergonha do meu Senhor. Cronometrei o tempo e o reboque foi acionado   exatamente no momento em que comecei a louvar, quando obedeci.”

Se o Senhor fala a você agora, obedeça. Ele tem coisas grandes e firmes para você (Jr 33:3). “Invoca-me no dia da angústia, eu te livrarei e tu me glorificarás.”Sl 50:15.

Quantas vezes o Senhor quer nos socorrer, mas nós colocamos o obstáculo. Vemos o impossível. Esquecemos que somos propriedade exclusivA, e por isso nunca seremos esquecidos.

Leia Is 49:15—Ainda que uma mulher esqueça-se do filho que amamenta… todavia não me esquecerei de ti.

 “Porventura pode uma mulher esquecer-se tanto de seu filho que cria, que não se compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas ainda que esta se esquecesse dele, contudo eu não me esquecerei de ti.” (Is 49:15)

Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *